saiba mais...

novidades

TRATAMENTO PARA ASMA

01/11/2017

A Asma envolve uma inflamação das vias aéreas, o que restringe o fluxo de ar para dentro e para fora dos pulmões. É caracterizado por ataques periódicos de respiração ruidosa, falta de ar, sensação de aperto no peito e tosse. Os ataques asmáticos possuem muitas causas, incluindo, alergias (poeira, pólen, alimentos, fumaça, etc...), infecções respiratórias, estresse físico ou emocional e ar frio.

Os Nosódios Vivos de Roberto Costa atuam na Asma dessensibilizando o sistema imune, tornando-o menos reativo. 

O Papel da Homeopatia na Imunização

14/02/2017

Prevenção e Tratamento de Vacinações:

A Homeopatia pode ser utilizada como vacina de forma segura e sua eficácia vem sendo provada à 200 anos na utilização de prevenção de doenças em grandes epidemias. Também pode ser utilizada para tratar os efeitos colaterais após a vacinação, tanto para prevení-los, tanto para tratar possíveis doenças oriundas da vacinação. Abaixo apresenta-se algumas sugestões de medicamentos homeopáticos para auxiliar antes da vacinação e para efeitos colaterais imediatos, e em longo prazo: 

 

 

Sugestão de homeopatia para prevenção de efeitos colaterais de vacinas:

Homeopatia:

1) Ledum 30CH 10mL  AA 30% 

                     

Modo de tomar: Tomar 10 gotas cinco dias antes da vacinação, repetir a dose 3 dias antes da vacinação. Após tomar  a homeopatia número 2.

2) Hypericum 30CH 10mL  AA 30%

Modo de tomar: Tomar 10 gotas um dia antes da vacinação. 

Sugestão de homeopatia para tratamento de efeitos colaterais imediatos, e a longo prazo:

Homeopatia:

1) Thuya 30CH 10mL  AA 30% 

                     

Modo de tomar: Tomar 10 gotas em duas doses. Assim do aparecimento dos sintomas e três dias após nova dose. Não deve ser repetida mais vezes. Thuya pode auxilia qualquer doença desenvolvida após vacinação. Sintomas advindos da vacinação como: dor de estômago, inflamação dos olhos, paralisia dos membros inferiores, asma, alterações mentais, verrugas e insônia.

2)  Silicia 30CH 10mL  AA 30%

Modo de tomar: Tomar 10 gotas em duas doses. Assim do aparecimento dos sintomas e três dias após nova dose. Trata sintomas advindos da vacinação como: convulsões, dor nas costas, diarréia, náusea, fraqueza, apatia, frieza, abcessos, asma, inchaço no local da injeção.

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

Dor de Cabeça

20/06/2016

A Dor de Cabeça pode ter sua causa advinda por vários motivos. Aqui sugerimos uma formulação levando em consideração sintomas mais comuns. No caso em que você já saiba sua causa, como por exemplo: enxaqueca, sinusite, pressão alta, procure na Aba "Fórmulas Homeopáticas" as formulações específicas para seu caso.

Sugestão de homeopatia para tratamento de dor de cabeça:

Homeopatia: Nux vomica 6CH I Belladona 5CH I Gelsemium 5CH I Pulsatilla 6CH I Cinchona 5CH I Ipecacuanha 5CH 30mL AA 30%

Modo de tomar: Tomar 4 gotas de 3 em 3 horas. Espaçar o tempo entre as tomadas assim que os sintomas diminuírem.

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

"XIXI NA CAMA" - ENURESE NOTURNA

23/02/2016

A Enurese noturna é o hábito mais conhecdo como "fazer xixi na cama", onde ocorre o hábito involuntário de urinar a noite, durante o sono. Raramente isto se prolonga depois dos 15 anos, porém é possível tratar com homeopatia, assim como com acompanhamento psicológico.

 

 

Sugestão de homeopatia para tratamento de enurese noturna:

 

Homeopatia: Sulphur 30CH 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: Tomar 2 gotas de 4 em 4 horas.

 

Se o primeiro medicamento não alcançar os resultados, utlizar:

 

Para meninos: Causticum 12CH 30mL AA 5%

Para meninas: Pulsatilla 5CH 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: Tomar 2 gotas de 4 em 4 horas.

 

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

Curiosidades Homeopáticas ...

Beber café antes de dormir poderá causar insônia. Numa dose infinitesimal, pode tratar insônias semelhantes as que são provocadas pelo café.

Cistite

30/06/2015

A cistite é uma inflamação da bexiga ou do trato urinário inferior. Pode ser causada por infecção bacteriana ou por um agente irritante, como medicamentos, temperos, banhos de espuma ou absorventes higiênicos. Os sintomas incluem desejo frequente de urinar e ou urgente de urinar, dor ardente, pressão na parte inferior do abdômen e urina com odor forte, dor na relação sexual, fadiga, náuseas ou vômitos.

 

 

Sugestão durante o quadro sintomático:

 

Homeopatia: Cantharis 6CH/ Berberis 7CH/ Argentum nitricum 5CH/ Staphysagria 6CH/ Causticum 5CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 5 gotas de 4 em 4 horas até o desaparecimento dos sintomas.

 

 

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

Diarreia

19/03/2015

A menos que se deva à uma doença crônica subjacente, a diarreia é o método de corpo se livrar de alguma toxina. No entanto, a diarreia pode ser um risco quando ocorre em crianças e bebês - eles podem entrar em estado de desidratação em poucas horas. Sinais críticos de desidratação são: atividade diminuída, falta de saliva, choro sem lágrimas e diminuição do número de micções.

 

 

Sugestão durante o quadro diarréico:

 

Homeopatia: Arsenicum album 6CH/ Cinchona 6CH/ Nux vomica 6CH/ Podophyllum 7CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 5 gotas de 3 em 3 horas até o desaparecimento dos sintomas.

 

 

Sugestão após a crise diarréica em fase se recuperação:

 

Homeopatia: Chinchona 6CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 6 gotas de 4x ao dia.

 

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

Tristeza

01/03/2015

A Ignatia Amara é um remédio homeopático de primeira qualidade para tristeza e os efeitos da tristeza, perda ou desilusão amorosa. Para os efeitos colaterais de qualquer emoção forte. Meditação em silêncio, muitos suspiros, às vezes histeria. Humor mutável - ri e depois chora. Chora quando está sozinho. Sensação de nó na garganta, insônia ou perda de apetite. Paralisia histérica. Piora com calor, café ou cheiro de tabaco. Para doenças físicas que começam depois de tristeza ou outras emoções fortes.

 

 

Sugestão

 

Homeopatia: Ignatia amara 9CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 5 gotas de 4 em 4 horas até o desaparecimento dos sintomas.

 

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

Dores por Pedra nos Rins

23/02/2015

 

Pedras nos rins são substâncias insolúveis que se cristalizam na urina. Essas pedras podem não produzir sintomas até começarem a se mover pela uretra. Os sintomas incluem dor intermitente e excruciante na área dos rins ou na parte inferior das costas. A dor pode irradiar pelo abdômen, área genital ou coxas. Náusea, vômito, inchaços, calafrios, febre e micção frequente também ocorrem.

Observação: Dor que piora com o movimento normalmente se deve a um cálculo biliar. Com vontade urinar, é mais provável que seja pedra nos rins.

 

 

Sugestão

 

Homeopatia: Berberis vulgaris 5CH / Dioscorea 6CH/ Aconitum 6CH/ Nux vomica 5CH/ Magnesia Phosphorica 5CH/ Coloquintia 5CH/ Causticum 5CH/ Salsaparilla 5CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 3 gotas 30 em 30 min até aliviar a dor. Após, espaçar as doses para 4 horas de intervalo entre elas. Após, 4 gotas 4x ao dia até o desaparecimento dos sintomas.

 

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

Text.

Náuseas

15/02/2015

É a primeira tentativa da necessidade de vomitar ou o esforço que o acompanha ainda que sem causar o vômito. Um sintoma que sobrevém em pessoas predispostas sob a influência de balanço. Indicado quando o sintoma está ocorrendo.

Sugestão Homeopatia:

 

Ipecacuanha 6CH/ Iris versicolor 6CH/ Phosphorus 6CH/

Bryonia 6CH/ Nux vomica 6CH/ Cocculus indicus 6CH/

Veratrum album 6CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 4 gotas 4x ao dia, enquanto sintomas intensos. Após, 4 gotas 4x ao dia até o desaparecimento dos sintomas.

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

ENJÔO (carro, mar, aéreo)

08/02/2015

É um sintoma que sobrevém em pessoas predispostas sob a influência de balanço.

 

 

Sugestão

 

Homeopatia: Petroleum 5CH/ Cocculus indicus 5CH/ Nux vomica 6CH/ Tabacum 6CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 4 gotas 6x ao dia, enquanto sintomas intensos. Após, 4 gotas 3x ao dia até o desaparecimento dos sintomas.

 

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

LABIRINTITE

31/01/2015

A labirintite é uma doença do ouvido qu afeta o labirinto e suas estruturas responsáveis pela audição (cóclea) e pelo  equilíbrio (vestíbulo). Na labirintite, as áreas do ouvido interno ficam inflamadas e irritadas, fazendo os nervos do vestíbulo enviarem sinais incorretos ao cérebro como se o corpo estivesse se movendo. No entanto, outros sentidos, como a visão, não detectam esse movimento, causando uma confusão entre os sinais recebidos pelo cérebro e, consequentemente, a perda das noções de equilíbrio. Um dos pricipais sintomas é a tontura.

 

 

Sugestão

 

Homeopatia: Phosporus 5CH/ Gelsemium 6CH/ Stramonium 5CH/ Cocculus 5CH/ Cyclamen 6CH

 

Para adultos: 30mL AA 30%

 

Para crianças: 30mL AA 5%

 

Modo de tomar: 6 gotas 6x ao dia, enquanto sintomas intensos. Após, 6 gotas 3x ao dia até o desaparecimento dos sintomas.

 

 

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 p.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

NOVOS CONCEITOS SOBRE A ÁGUA E POSSIBILIDADES DE APLICAÇÃO

24/01/2015

No passado, alguns pesquisadores que estudavam os efeitos do campo magnético muitas vezes os relacionavam com a ação de sensitivos sobre diversos sistemas. No entanto, nas últimas décadas percebeuse que as alterações observadas nesses sistemas deviam-se basicamente à presença de água nos mesmos. Dentre vários processos que podem alterar o comportamento da água líquida estão a ação de campos magnéticos e o processo de diluição sucessiva em soluções aquosas. Existem várias evidências de que a água tratada em campos magnéticos possui propriedades diferentes da água não tratada. Esse fato se deve ao enfraquecimento ou à quebra das ligações de hidrogênio entre as moléculas de água. No processo de dinamização observa-se que soluções diluídas apresentam absorção de luz UV numa faixa de concentração em que o soluto não é mais detectado pelo espectrômetro, o que indica a absorção de luz por possíveis arranjos do solvente a partir das dinamizações.

Referência:

Porto, MEG. Novos conceitos sobre a Água e possibilidades de aplicação. Revista Cultura Homeopática. 21 ed. 17 pg.

EMPREGO DE FÁRMACOS DE ACORDO COM O PRINCÍPIO DA SILIMITUDE:

USO TERAPÊUTICO DO EFEITO REBOTE

 

De forma análoga ao princípio da similitude terapêutica que a homeopatia emprega há mais de dois séculos, utilizando substâncias que causam determinados sintomas para tratar distúrbios semelhantes, recentemente, vem sendo sugerida pela farmacologia moderna uma nova estratégia de tratamento (‘paradoxical pharmacology’), propondo que “a exacerbação de uma doença pode fazer com que os mecanismos compensatórios e redundantes do organismo consigam uma resposta benéfica em longo prazo”, empregando os “efeitos paradoxais e bidirecionais das drogas” de forma terapêutica. Essa ‘farmacologia paradoxal’ tem sido utilizada no emprego dos betabloqueadores e dos bloqueadores dos canais de cálcio na insuficiência cardíaca congestiva (ICC), melhorando a contratilidade ventricular e diminuindo a mortalidade, além do emprego dos mesmos betabloqueadores no tratamento crônico da asma, promovendo broncodilatação e diminuição da inflamação nas vias respiratórias. No uso do efeito paradoxal antidiurético das tiazidas para tratar o diabetes insipidus, reduzindo a poliúria e aumentando a osmolalidade da urina, e na aplicação do trióxido de arsênico (As2O3), importante agente carcinogênico, como promissor agente antineoplásico (na leucemia promielocítica aguda). No emprego do efeito rebote dos contraceptivos orais como indutores da ovulação (gravidez) em mulheres portadoras de esterilidade funcional, e na utilização de drogas estimulantes do sistema nervoso central (anfetamina, metilfenidato, pemolina, etc.) no tratamento da hiperatividade, em vista de seu efeito bifásico. Dentre outros. De forma análoga ao método homeopático de tratamento, que utiliza ‘doses infinitesimais’ ou ‘ultradiluições’ dos medicamentos com o intuito de evitar uma possível agravação da doença na aplicação da similitude terapêutica, os proponentes desta proposta sugerem, como uma “boa regra geral”, iniciar o tratamento com “doses muito pequenas, aumentando-as gradativamente ao longo das semanas”.


Com o intuito de aproximar racionalidades distintas e ampliar o escopo da terapêutica pelos semelhantes, vimos propondo na última década uma sistematização para a utilização do efeito rebote curativo de 1.250 fármacos modernos, administrando-se aos indivíduos doentes, em doses infinitesimais (‘medicamento dinamizado’), drogas que causaram eventos adversos semelhantes (segundo a ‘totalidade de sintomas’), com o intuito de estimular uma reação paradoxal curativa do organismo. Para tornar esta proposta factível, foi elaborada uma Matéria Médica Homeopática dos Fármacos Modernos agrupando todos os efeitos primários ou patogenéticos (terapêuticos, adversos e colaterais) dos 1.250 fármacos modernos descritos em The United States Pharmacopeia Dispensing Information (USP DI), em conformidade com a distribuição dos capítulos da matéria médica homeopática tradicional. Para facilitar a ‘seleção do medicamento individualizado’ - premissa indispensável ao sucesso do tratamento homeopático - a segunda etapa envolveu a elaboração de um Repertório Homeopático dos Fármacos Modernos, onde os sintomas patogenéticos e seus medicamentos correspondentes foram organizados numa disposição anátomo-funcional em conformidade com o repertório homeopático clássico. Intitulado Novos Medicamentos Homeopáticos: uso dos fármacos modernos segundo o princípio da similitude, esse projeto de pesquisa está sistematizado e descrito em três livros eletrônicos (Fundamentação Científica do Princípio da Similitude na Farmacologia Moderna, Matéria Médica Homeopática dos Fármacos Modernos e Repertório Homeopático dos Fármacos Modernos) disponibilizados em um site bilíngue de livre acesso (http://www.newhomeopathicmedicines.com), permitindo que essa proposta seja analisada e aplicada por todos os colegas interessados.

Referências:

Teixeira MZ. Similia similibus curentur: o princípio de cura homeopático fundamentado na farmacologia moderna [Similia similibus curentur: the homeopathic healing principle based on modern pharmacology]. Revista de Medicina (São Paulo) 2013; 92(3): 183-203.

DOR DE OUVIDO

20/01/2015

Inflamações da cavidade timpânica pode ser causada por vírus ou bactérias. Normalmente ocorre depois de doenças como sarampo, caxumba, pneumonia ou gripe. Os sintomas são dor de ouvido, ouvido entupido, distúrbios de audição e às vezes ruídos auditivos, como zumbido, chiados, assobios ou som de rugido.

Sugestão

Homeopatia: Calcarea picrica 5CH/ Chamomilla 10CH/ Belladona 6CH/ Pulsatilla6CH/ Mercurius 6CH/ Silica 6CH

Para adultos: 30mL AA 30%

Para crianças: 30mL AA 5%

Modo de tomar: 5 gotas 6x ao dia, enquanto sintomas intensos. Após, 5 gotas 4x ao dia. Se ainda prevalecer sintomas, 5 gotas, 2x ao dia até cessar.

Referência:

CAIRO, Nilo. Guia de medicina homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira/Martins Fontes, 1987.

GRIMM, E. A Homeopatia e você. Florianópolis: Plus Saber, 2001. 120p.

PEREIRA, V. Guia Homeopático Dr. Valdomiro Pereira. Curitiba, 1984.

SCHMUKLER, Alan V. Homeopathy: an A to Z home handbook. Llewellyn Worldwide, 2006. 351 pág.

TETAU, J.; TETAU, M. Homeopatia e estruturas bioterápicas. São Paulo: Andrei editora, 1980. 176p.

LIVRO À VENDA NO SITE

Já está a venda o Livro:

 

“Os Nosódios Vivos de Roberto Costa podem ser considerados Homeopatia?”

 

Vendas através do e-mail: suportehomeo@gmail.com

 

Segue a resenha:

 

Os novos rumos da Homeopatia através da Nosodioterapia, um trabalho desenvolvido pelo Dr. Roberto Costa e que tem ganhado espaço nas terapias complementares, é o assunto tratado nesta obra da Farmacêutica Fernanda Colombi. Iniciando com um histórico da Homeopatia e, em seguida, investindo profundamente acerca dos Nosódios Vivos, a autora percorre um caminho interessante tanto para profissionais da área quanto para o público em geral que deseja conhecer a terapia. Com uma linguagem clara, a obra supre a necessidade de oferecer uma visão panorâmica dessa instigante corrente terapêutica.

 

Autora: Fernanda Colombi

Farmacêutica pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL / Especialista em Farmácia Magistral e Homeopatia pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL/ Terapeuta Homeopata/ Nosodioterapeuta pelo Instituto Roberto Costa – Petrópolis – RJ/ Pesquisadora da Universidade de Estudos Avançados – UEA

NOVOS MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS

Uso dos Fármacos Modernos segundo o Princípio da Similitude

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Homeopatia utiliza como princípio fundamental a Lei da Similitude ou Lei da Semelhança. Esta lei propõe que toda substância capaz de provocar sintomas em um indivíduo são, também é capaz de curar estes sintomas produzidos. Os medicamentos homeopáticos são definidos após a comparação dos sintomas relatados pelo consulente, com a Matéria Médica. A Matéria Médica contém o quadro sintomático que cada medicamento homeopático provocou ao ser experimentado em condições sadias do indivíduo. Assim a definição do medicamento homeopático para cada consulente ocorre por semelhança entre os sintomas apresentados por ele e o medicamento presente na matéria médica que provoca estes mesmos sintomas em um homem saudável. Hahnemann, pai da Homeopatia, no Século XVIII, observou as propriedades farmacológicas de dezenas de medicamentos e percebeu que ocorria uma ação secundária (ação indireta) no organismo em resposta a ação primária (ação direta) da droga. Enunciou assim o “mecanismo de ação” das drogas no organismo:

 

“Toda a força que atua sobre a vida, todo medicamento afeta em maior ou menor escala a força vital causando certa alteração no estado de saúde do Homem por um período de tempo maior ou menor. A isto se chama ação primária. [...] A esta ação, nossa força vital de esforça para opor sua própria energia. Tal ação oposta faz parte da nossa força de conservação, constituindo uma atividade automática da mesma chamada ação secundária ou reação“.

(Organon da arte de curar, parágrafo 63)

 

Assim, quando uma droga entra em contato com o organismo, provoca uma ação primária e em reação a esta, na tentativa de manter a homeostase, surge a reação secundária (força de conservação). Fazendo uma ligação entre a ação primária e secundária dos medicamentos experimentados por Hahnemann com a farmacologia moderna, vemos muitos relatos de medicamentos, que descrevem através de seus estudos, uma ação secundária aquela primária, efetuada no organismo, decorrente da terapêutica alopática a que se destina, recebendo o nome de efeito rebote ou reação paradoxal do organismo pela medicina tradicional. Exemplos desse efeito das drogas modernas, é o caso de analgésicos, como cafeína, bloqueadores de canal de cálcio, clonidina, ergotamina, opióides, salicilatos, que podem apresentar importante hiperalgesia como efeito rebote. Também antidispépticos, como antiácidos, antagonistas de receptores H2, misoprostol, antagonistas da bomba de prótons, para tratamento de gastrites e úlceras que podem promover após uma queda primária na acidez estomacal, uma produção gástrica de ácido clorídrico mais intensa como efeito rebote.De forma análoga aos medicamentos homeopáticos, os medicamentos modernos podem ser utilizados na terapêutica homeopática baseado em seu efeito secundário. Para viabilizar esta proposta, um projeto Intitulado “Novos Medicamentos Homeopáticos: Uso dos Fármacos Modernos Segundo o Princípio da Similitude”, está sendo executado e é dividido em três partes:

(1) “Fundamentação Científica do Princípio da Similitude na Farmacologia Moderna”;

(2) “Matéria Médica Homeopática dos Fármacos Modernos”;

(3) “Repertório Homeopático dos Fármacos Modernos”. Este projeto está em andamento, e seu objetivo é apresentar uma metodologia para a aplicação de fármacos modernos segundo a terapêutica da semelhança, acrescentando mais de 1250 medicamentos à Matéria Médica Homeopática.

 

Fernanda Fregnani Colombi

 

 

 

Referências:

 

COLOMBI, Fernanda F. A pesquisa frente à comprovação do medicamento homeopático. 2006. 38p. Dissertação (Especialização em Farmácia Magistral Alopática e Homeopática) – Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, 2006.

HAHNEMANN, S. Organon da arte de curar. 6. ed. São Paulo: Robe, 1996.Teixeira MZ. Evidence of the principle of similitude in modern fatal iatrogenic events. Homeopathy. 2006; 95(4): 229-236. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17015194.

Teixeira MZ. Similitude in modern pharmacology. British Homeopathic Journal. 1999; 88(3): 112-20. Disponível em:http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10449051.Links:http://www.novosmedicamentoshomeopaticos.com/port/apresentacao.asphttp://www.homeozulian.med.br/homeozulian_novosmedicamentoshomeopaticos.asp

HOMEOPATIA E A LEI SECA

Uma das formas de apresentação do medicamento homeopático é a forma líquida, e a maioria das formulações homeopáticas líquidas utilizam etanol a 30% como conservante. Ana K. C. C e cols. realizaram trabalho recente onde identificaram o teor de etanol presente no sangue após a administração de diferentes quantidades de uma solução contendo álcool etílico a 30% (similar a preparações homeopáticas). Como resultado encontraram que pessoas de peso médio (70Kg) após a ingestão de 5 gotas (dose usual) dessa solução, apresentam uma concentração sanguínea de 1mg/L de sangue e que a administração de 12mL ou o equivalente a 300gts dessa solução levou a uma concentração de 62mg/L de sangue em pessoa de peso médio (70Kg). Não há estudos sobre o teor de álcool presente no ar exalado após a administração de soluções hidroalcoólicas nos teores presentes em medicamentos homeopáticos. Em vista da Lei Seca se tornar mais rigorosa com a Resolução MC-CONTRAN nº 432, de 23 de janeiro de 2013 (DOU 29/01/13 – seção 1 – p.30), recomenda-se que, consumidores de homeopatia diante da situação de verificação por parte da autoridade policial, evitem resultado falso positivo, informando sobre uso de medicamento contendo teor de álcool etílico em sua composição. Apresentar o frasco em uso o qual habitualmente descreve em sua rotulagem o teor de álcool etílico presente, informar quando foi administrado pela última vez e aguardar a orientação sobre como proceder ao teste do etilômetro.

 

 

Referências:

 

Resolução MC-CONTRAN nº 432, de 23 de janeiro de 2013, disponível em > http://www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/(resolução%20432.2013c).pdf , acessado em 19/02/2013.

Farmacopeia Homeopática Brasileira, 3ª. Edição, disponível em > http://www.anvisa.gov.br/farmacopeiabrasileira/conteudo/3a_edicao.pdf, acessado em 19/02/2013

Ana K. C. C. , Elizabete G.C., Walcymar L. E.. O etanol nos medicamentos homeopáticos, trabalho apresentado durante o Congresso Brasileiro de Homeopatia, Belo Horizonte – MG, Brasil, novembro de 201Equipe Técnica ABFH e AnfarmagEste post foi publicado em Sem categoria em 16 de abril de 2013.

Please reload

Nosódio Vivo e Homeopatia